Academy Educação Financeira

4 passos para realizar seus objetivos e sonhos

abril 23, 2018 - 11:10 am

Quanto custam seus objetivos e seus sonhos? O que você seria capaz de sacrificar para alcançá-los? De que hábitos supérfluos você estaria disposto a abrir mão para vive-los? Acha impossível conquistá-los? Hoje eu estou aqui para mostrar que é possível construir aquela linda casa de campo, fazer aquela viagem em família, ou simplesmente se aposentar mais cedo para aproveitar seus dias e curtir mais a vida. Com um bom planejamento, você poderá estabelecer um controle de suas receitas e despesas, guardar uma parte de sua renda em bons investimentos, sanear suas contas e assim atingir seus objetivos. Vamos lá?

1-  Planejamento -Defina metas de curto, médio e longo prazo

O primeiro passo para a construção de seu sonho é estabelecer um cronograma, definindo assim o “quando”. O “tamanho” do seu desejo vai determinar o prazo para atingi-lo. Ter limites de tempo ambiciosos, mas ao mesmo tempo razoáveis, para alcançar suas metas pode ser uma ótima ferramenta motivacional. Estabeleça objetivos de economia que estão ao seu alcance, pois isso o impulsionará a tomar as decisões financeiras necessárias para poupar com responsabilidade. Evite prazos que exijam que você se sacrifique demais, prevenindo assim a frustração de ter que abandonar seus planos por não conseguir cumprir seu cronograma. Não dê passos maiores que suas pernas!

Metas de curto prazo

Para as metas de curto prazo, como uma viagem para a praia com os filhos ou a troca dos móveis da sua casa, por exemplo, é importante que se tenha uma reserva de emergência, caso aconteça algum contratempo que comprometa a sua capacidade de poupar durante o prazo que você estabelecer. Eu recomendo pelo menos 6 meses do seus gastos mensais para eventuais imprevistos. A reserva de emergência deverá ser sua primeira prioridade no curto prazo, caso já não há tenha.

Metas de médio prazo

Metas de médio prazo exigirão um pouco mais de planejamento. Digamos que você defina o objetivo de possuir uma casa daqui a 4 anos. Nesse caso, você precisaria pesquisar o custo médio do imóvel na área em que gostaria de morar e começar a economizar para pagar a entrada.

Como regra geral, a entrada do financiamento fica em torno de 20% do preço de compra do imóvel. Assim, se o imóvel custar cerca de R$ 480.000,00, você precisará economizar pelo menos R$ 480.000,00 × 20% = R$ 96.000,00 em quatro anos, ou seja, guardar pelo menos R$1.000,00 por mês. Além de poupar esse dinheiro, você deverá procurar uma aplicação que preserve seu valor de compra, uma vez que, muito provavelmente, o preço do imóvel dos seus sonhos não será o mesmo daqui a 4 anos. Dependendo da situação e do momento, pode ser mais interessante morar em uma casa alugada até conseguir dinheiro suficiente para compra-lo à vista. Mas este assunto merece ser tratado separadamente em outra oportunidade.

Metas de longo prazo

Já as metas de longo prazo, como a aposentadoria, levam muito tempo para serem alcançadas. No momento em que atingir seu objetivo, assim como no caso acima, os mercados financeiros e a economia provavelmente serão muito diferentes do que estão hoje. Você precisará pesquisar os melhores investimentos para seu perfil, encontrando assim o mais adequado aos seus objetivos de renda futura. O valor que você deseja para a sua renda mensal na aposentadoria é que vai determinar suas estratégias de poupança e investimento. A maioria dos analistas financeiros diz que você precisará de cerca de 85% de sua renda anual para manter seu estilo de vida atual a cada ano em que estiver aposentado.

Seja qual for o seu cronograma, faça uma análise constante do progresso dos seus investimentos e das suas despesas. Eu recomendo uma reflexão de 6 em 6 meses no mínimo. Na situação geral, você pode ter uma ideia de até onde você chegou e qual estratégia você pode ou deve mudar.

2-  Poupança e investimento - Pague-se primeiro

O erro mais comum que as pessoas comentem na hora de poupar é a estratégia de guardar o dinheiro que sobra no final do mês. A primeira coisa que eu ensino para os meus alunos é a inversão desse hábito. A única maneira de economizar dinheiro ao invés de gastá-lo é não se dar a chance de fazer isso. Em primeiro lugar poupar, em segundo pagar suas despesas e, por último, se possível, gastar com supérfluos. Crie o compromisso de aplicar uma parte de sua renda assim que recebê-la.  O mínimo recomendável são 10%.

Uma dica para os mais desorganizados é efetuar uma transferência mensal automática de sua conta corrente para sua corretora, cadastrando uma TED para o dia do seu pagamento. Procure investimentos para seus objetivos e dentro do seu perfil. Com o tempo, você poderá aumentar aos poucos o valor das aplicações, e começará a perceber o poder dos juros compostos sobre o seu dinheiro! Comece o quanto antes, e conseguirá acúmulo de um capital relevante no menor tempo possível.

3-  Saneamento de finanças - Não acumule dívidas

Algumas dívidas são inevitáveis. No entanto, a maioria delas é questão de escolha. Enquanto puder, fique longe! Eleja prioridades. Se não pode pagar à vista, espere para comprar. Se a compra for indispensável, procure abater o maior valor que conseguir e antecipe o pagamento das parcelas. Quanto mais você puder cobrir antecipadamente, mais rápido pagará o remanescente, e menos gastará em juros. Se tomar um empréstimo for inevitável, a regra é a mesma. Antecipe parcelas e pague menos juros. Em qualquer dos casos, é recomendável que suas dívidas não ultrapassem 20% de sua renda, como nos financiamentos imobiliários, por exemplo.

4-  Controle – Registre todos os seus ganhos e gastos

Manter um orçamento apertado é imprescindível para quem quer poupar dinheiro. Mas, se você não tiver o controle de suas despesas, dificilmente conseguirá atingir seus objetivos e metas. O registro contínuo do quanto você gasta ajuda a identificar áreas "obscuras" no seu fluxo financeiro, auxiliando no ajuste de seus hábitos de consumo. No entanto, isso vai exigir de você muita disciplina e atenção aos detalhes. Nossa tendência é manter o controle de grandes despesas, como moradia e pagamento de dívidas, e negligenciar os gastos menores. Mas acredite, eles são igualmente importantes. Já ouviu a frase “Cuide dos centavos, que os milhões se garantirão?”. Esse é um conselho de ouro!

 Para esse tipo de controle, é muito útil manter um pequeno caderno consigo em todos os momentos. Adquira o hábito de registrar todas as despesas e guardar seus recibos. Assim que puder, insira suas receitas e despesas em uma planilha.

Hoje em dia há muitos aplicativos que você pode baixar em seu telefone para ajudá-lo a controlar suas despesas. Eu, particularmente, gosto mais da minha inseparável planilha. Se você tiver dívidas e gastos elevados, não tenha medo de guardar cada recibo. Divida sua planilha em categorias e, em seguida, calcule cada uma delas. Você poderá ficar chocado com quanto dinheiro gasta em compras pequenas que, somadas, impactam profundamente o seu orçamento.

Cultive metas ambiciosas em sua vida! Foque no progresso financeiro e em novos hábitos para conquistar mais qualidade no consumo e uma economia sustentável, buscando sempre sua independência financeira e a realização de seus sonhos. Com uma boa dose de organização, disciplina e paciência, qualquer um pode alcançar a vida que deseja. A educação financeira vai levar você a um novo nível! Acredite!

  Everaldo Santana, educação financeira.

Comentário

Notícias mais relevantes