Academy Educação Financeira

Como começar a investir de forma inteligente

maio 14, 2018 - 11:27 am

Se você parou para ler este artigo, parabéns! Você está entre uma minoria de brasileiros que se preocupa em poupar para o futuro. Como começar a investir de forma inteligente? Descubra agora!

Em recente estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), 66% das pessoas que fazem parte das classes A e B não foram capazes de guardar nenhuma parte de seus rendimentos no mês anterior. Considerando a população de todas as classes sociais, a proporção dos que conseguiram guardar dinheiro foi ainda menor. Somente 20% conseguiram fechar o mês com sobras, contra 70% de não poupadores. E entre os que conseguiram salvar alguma quantia, pasmem, somente 5% declaram fazer isso mensalmente. Um quarto deles (25%) guarda apenas o que sobra, ou se sobrar, no orçamento quando termina de pagar todas as contas. Para piorar o quadro, segundo o Indicador Mensal de Reserva Financeira, a caderneta de poupança foi o destino mais frequente do dinheiro guardado, com 60% de menções.

Bem, mas se você está aqui, suponho que está, ou pretende estar, entre os 5% de compatriotas que destina um valor fixo mensalmente à construção de um colchão financeiro. Creio também, baseado em seu interesse pelo assunto, que não pretenda relegar seu rico e suado dinheiro à ingratidão dos rendimentos da poupança. Você trabalhou muito para consegui-lo, e por isso crer vê-lo crescendo de forma saudável e satisfatória.

Acontece aí o primeiro problema: você quer investir, mas existem dezenas de opções, e você desconhece a grande maioria. Entre fundos, tesouro direto, CDB’s, LCI’s, LCA’s, debêntures, ETF’s, COE, ações, você parece estar diante de uma sopa de letras que não fazem nenhum sentido, correto? Neste ponto, muitas pessoas desistem, procrastinam ou simplesmente se conformam com os míseros rendimentos da poupancinha. Mas não você! Se você chegou até aqui, é porque sabe que não deve e não pode agir assim.

Você precisa construir seu portfólio de forma planejada com estudo e dedicação. Então, não desanime!

Parece muito complicado e técnico escolher uma estratégia de investimento de suas economias, certo? Mas é um conceito simples. Existem dois blocos principais de investimentos - renda fixa e renda variável. A alocação de ativos refere-se à forma como você distribui seu dinheiro entre essas classes. Existem outros tipos de ativos - por exemplo imóveis, moedas e metais que são geralmente considerados distintos dos básicos listados acima. Para muitos investidores, pode ser mais fácil recorrer a um fundo de previdência como forma de uma diversificação maior e mais segura, o que pode ser uma boa ideia, desde que se faça uma cuidadosa pesquisa para não cair em altas taxas de administração e carregamento que podem afetar muito a rentabilidade.

Estudos mostram que a maneira como você divide seu dinheiro nesses tipos de investimentos pode ter uma tremenda influência sobre seus retornos de longo prazo. Construir sua carteira de investimentos pode ser fascinante e recompensador!Mas aí você me pergunta: Por onde começar? Primeiro, pense em quanto tempo você precisa permanecer com seu dinheiro investido, suas necessidades financeiras e quanto risco você pode tolerar.

Risco

A sua tolerância ao risco é a primeira medida que deve ser apurada, antes mesmo do que a sua situação de tempo e dinheiro. A história sugere que quanto mais risco você tiver em sua carteira de investimentos, mais o valor da sua conta poderá aumentar ou diminuir com o tempo. Pode ser um pouco difícil, mas tente imaginar como você se sentiria se o seu dinheiro diminuísse por um período de tempo.

Algumas pessoas perdem o sono devido à volatilidade temporária do mercado de renda variável. Isso pode levar à venda de investimentos em um ponto baixo e, finalmente, à perda dinheiro. Por isso, é vital saber qual é a sua capacidade emocional de conviver com o risco.

Se você for uma pessoa de sangue frio, capaz de permanecer com seu dinheiro investido ao longo do tempo, sem se abalar com as variações intercorrentes, investimentos com alta rentabilidade em função do risco inerente podem ser um bom caminho para você.

Necessidades financeiras - Você precisa saber o que espera do seu dinheiro. Caso contrário, você será como um navio sem leme no mar; sem direção, sem propósito. Essa é uma situação terrível para se encontrar, especialmente quando você começa a investir e também quando se está próximo de se aposentar.

Tempo

Um fator crucial a ser analisado antes de escolher um investimento é o período que você pode esperar para usufruir do dinheiro guardado, conhecido como seu horizonte de tempo. Outro ponto importante a lembrar é que uma carteira não continua da mesma forma durante toda sua vida. Ela pode e deve mudar com o passar da idade, do crescimento de renda e das diferentes metas financeiras a serem atendidas.

Balanceamento de carteira, em conjunto com a gestão de risco, são atitudes chave para assegurar um rendimento saudável do seu dinheiro, devendo ser feitas semestral ou anualmente.

Por que renda fixa?

Uma dúvida constante dos investidores iniciantes é: Por que investimentos conservadores se posso ganhar mais rentabilidade?  Os investimentos de renda fixa são para proteção do seu capital. Você deve alocar uma boa parte neles pois, embora paguem um retorno bem menor, oferecem estabilidade e segurança para sua carteira.

Por que renda variável?

Se você tem décadas para permanecer investindo, você está no local certo para aproveitar as tendências de longo prazo do mercado de renda variável. Com tempo para superar as recessões, você pode se beneficiar da potencial valorização de seus investimentos com o passar dos anos.

Por que investir no mercado de ações?

Ações, assim como outros investimentos em renda variável, buscam alavancar seus ganhos. Além de historicamente oferecerem retornos mais altos do que os investimentos menos voláteis. Esses retornos podem ser necessários para que você atinja seus objetivos. No curto prazo, o mercado de ações é imprevisível, mas, no longo prazo, o crescimento é constante.

O importante é ter sempre em mente que é um mercado com muitos altos e baixos. Além disso, o risco de perda é muito maior do que em outras classes de ativos mais conservadores. Se você não estiver disposto a ter um negócio por pelo menos cinco anos, nem pense em comprar ações, a menos que entenda e aceite que em curto prazo elas são irracionais, voláteis e caprichosas. São como as esposas, explosivas e ciumentas no princípio, mas companheiras confiáveis com o passar dos anos. Tenha paciência e frieza. Não confie em um único investimento nessa área, não há razão para você ter muito dinheiro em uma única ação. Invista em setores diferentes e de grandes empresas, com resultados constantes e em crescimento.

Investir pode ser confuso e intimidador

Mas acredite, não é. É só uma questão de manter uma disciplina de investimento mensal, ter um valor definido do qual se comprometa a dispor, e ao longo do tempo aumentar os aportes. Pague-se primeiro! Isso é sério! Não caia na armadilha de estar entre os 25% que só poupam se sobrar! Seu futuro é tão importante quanto a conta de água e de luz, nunca se esqueça disso.

O segredo não é guardar se sobrar, mas só gastar se sobrar depois de guardar. Diversifique sua carteira com investimentos adequados ao seu perfil e objetivos. A diversificação pode reduzir o risco geral da sua carteira, e aumentando o retorno esperado. Com um roteiro fornecido por um planejador financeiro, você pode descobrir que fazer a gestão de seus investimentos não é assim tão complicado. Afinal de contas, você precisa saber cuidar do seu dinheiro. Quem aprende como funciona fica encantado. E se torna verdadeiramente confiante em seu futuro. Pois tem a certeza da conquista de sua independência financeira. Acredite!

A gente se vê por aqui para mais conversas como esta. Parabéns por escolher ser o comandante da sua vida!

Everaldo Santana, educação financeira.

Comentário

Notícias mais relevantes