Academy Educação Financeira renda fixa

Tipos de Renda Fixa: Parte 1

maio 10, 2018 - 2:48 pm
Olá leitores da Ucoinvest Brasil, No artigo anterior, falei sobre o que é renda fixa.  Dando andamento a este tema, vou explicar sobre alguns tipos de renda fixa, bem como vantagens e desvantagens que vale a pena saber na hora de tomar decisões sobre investimentos.

Vamos nessa?

Mas antes é importante mencionar que os investimentos em renda fixa nem sempre possuem rentabilidade fixa e isto acontece devido ao tipo de rentabilidade escolhida na hora que se adquire o investimento — se do tipo prefixado ou pós-fixado. O investimento em renda fixa na categoria de prefixados, o percentual do rendimento é acertado na contratação e não sofre alterações futuras. Vejamos um exemplo: investimentos pré-fixados são aqueles títulos em que a empresa acorda que vai te pagar 9% do que você investiu e no prazo determinado você receberá os 9%, ou seja, independentemente do que aconteça, no vencimento você receberá este juro, somente nos casos em que se mantenha o título até o vencimento. Em situações em que se venda o papel antes do vencimento, a rentabilidade pode variar.

Títulos pós-fixados e índices bancários

Quanto aos títulos pós-fixados, o rendimento é medido levando em consideração os índices bancários, geralmente a Selic, CDI ou IPCA. Diferente do que ocorre com os prefixados, no pós-fixado não será possível saber qual será o rendimento da sua aplicação no ato da contratação. Exemplos de pós-fixados: CDB, LCI, LC ou LCA que remuneram a um percentual do CDI ou o título Tesouro Selic. Quem investe em pós-fixados deve estar sempre alinhado com o mercado, entender e observar as variações dos juros (subida e queda). Em um cenário hipotético onde a inflação e a taxa Selic estão em alta, é interessante optar por papéis pós-fixados, uma vez que eles vão acompanhar o movimento do mercado. Porém, no panorama atual a taxa Selic está em queda (tratarei este tema em outro artigo). Muita cautela com os investimentos em renda fixa.

Tipos de Renda Fixa

Para que você possa conhecer os investimentos de renda fixa no mercado, detalharemos as seguintes rendas fixas: Letra de Crédito Imobiliário (LCI); Letra de Crédito Agropecuário (LCA) e Crédito de Depósito Bancário (CDB). Vale a pena conferir!

1. Letras de Créditos

1.1 LCI – Letra de Crédito Imobiliário

São títulos de renda fixa emitidos por algumas instituições bancárias que tem como objetivo financiar empreendimentos imobiliários. O prazo de vencimento e rentabilidade são definidos na aplicação. Os riscos são baixos porque existe uma garantia que neste caso é um imóvel, além disso, o FGC – Fundo Garantidor de Crédito garante valores de até R$ 250 mil em aplicações. Outra grande vantagem é que a LCI é isenta de Imposto de Renda (IR).

1.2. LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

É um investimento em renda fixa que fomenta atividade do agronegócio. Neste tipo de investimento, os produtores agrícolas precisam de dinheiro para financiar as safras. Além de dar como garantia a plantação. As vantagens da LCA : o FGC garante valores de R$ 250 mil em aplicações. Além também há isenção de IR para pessoa física. A principal desvantagem é a baixa liquidez, sendo que este investimento pode estabelecer um período de aplicação longo, e assim, em caso de imprevistos não será possível resgatar o dinheiro imediatamente. Em geral as LCAs têm um investimento mínimo considerável superior que as LCIs variando de banco para banco.

2. CDB – Certificado de Depósito Bancário

É um título de renda fixa emitido pelos bancos para se capitalizarem, e, portanto, obterem dinheiro para financiar suas atividades de crédito. Para realizar uma aplicação em CDB não é necessário ser correntista. O CDB possui prazo de carência ou de vencimento. Para resgatar o seu dinheiro não é tão simples, ou seja, a liquidez pode não ser tão efetiva. Há CDBs, por exemplo, que possuem liquidez diária, já outros, liquidez diária a partir de determinado período, e outros que só podem ser resgatados no vencimento. Portanto, preste muita atenção ao seu perfil de investidor e sua situação financeira atual, pois em muitos casos não é um resgate como na caderneta de poupança. Principais vantagens do CDB: - O rendimento do CDB é maior do que o da caderneta de poupança; - A segurança do CDB é a mesma da poupança. Bancada pelo Fundo Garantidor de Crédito até o valor de R$ 250.000,00 por CPF e por instituição emissora do título; - Não existe taxa de administração; - A oferta de CDB é vasta: você pode tem inúmeras opções de títulos e instituições financeiras. Já as desvantagens são: -Tributação de imposto de renda em cima dos rendimentos (faça análise, pois em muitos casos, mesmo com a tributação o retorno oferecido pode ser maior que a alíquota do IR) vencimento do título que pode variar de 3 meses a 5 anos; -Caso regaste seu título antes de 30 dias devido a imprevistos ainda irá incidir IOF (imposto sobre operações financeiras). Importante ficar de olho na taxa Selic, pois tem impacto direto no rendimento dos investimentos de renda fixa como no caso do CDB.

Se liga aí!

Antes de tomar alguma decisão, analise o tipo de renda fixa em função do seu perfil de investidor. Além disso, é primordial comparar a rentabilidade de outros bancos e corretoras. Isso para ter segurança em suas escolhas e assim está fazendo um bom negócio. Ufa quanta informação, não é? Você conhecia ou já investiu em alguma destas opções de investimento em renda fixa que apresentei hoje? Deixe um comentário com as suas experiências. Até a próxima. Cris luna, renda fixa

Comentário

Notícias mais relevantes