Noticias

O que são exchanges?

agosto 1, 2018 - 4:59 pm
Exchange é uma das palavras que circula frequentemte no universo das criptomoedas. Mas nem todos sabem ao certo o que significa, o que elas fazem, quais são, onde estão, etc.  Pensando nessas principais dúvidas, elaboramos esse artigo exclusivamente para falar sobre elas.  Para começar, vamos à sua definição.  As exchanges são nada mais que sites/plataformas de negociação de compra e venda das criptomoedas. Ou seja, atuam como corretora, onde cada uma define como se dará o seu próprio funcionamento. Seja estipulando quais criptomoedas irá negociar, assim como estabelece também suas taxas, comissões e métodos de pagamentos.  Além de proporcionar o ambiente para as negociações de compra e venda das criptomoedas, as exchanges também são responsáveis por garantir o sucesso dessas transações. Ou seja, que o comprador receberá sua criptomoeda, enquanto o vendedor receberá o dinheiro negociado na sua venda. E tudo isso deve ocorrer nas exchanges de forma segura, rápida e transparente a ambas as partes.  Para começar a realizar as transações no mercado cripto é preciso de dinheiro (FIAT) e uma exchange para comprar criptomoedas.  Até o momento, existem mais de 200 exchanges de criptomoedas que suportam negociações ativas, sendo que o volume diário de negociação entre as dez principais, ultrapassa US $ 6,5 bilhões.

Como funcionam as exchanges de criptos?

Em síntese, as exchanges realizam trocas de criptografia em um mercado online onde as pessoas podem comprar e vender moedas digitais com facilidade. Toda conta recebe uma carteira para cada criptomoeda que deseja depositar e retirar. As exchanges gerenciam milhões de carteiras virtuais por meio de um bancos de dados com endereços de clientes vinculados a endereços de carteira.  Dessa forma, quando um depósito é feito para um determinado endereço, a exchange sabe em qual conta do cliente deve creditar. As exchanges gerenciam milhões de chaves privadas de clientes. Assim, essa chave é usada para mover fundos e assinar ordens de pagamento.  Uma vez que os endereços são ilimitados para todos os fins, as trocas podem criar quantos forem necessários, mesmo fornecendo endereços novos para cada cliente durante diferentes depósitos. Isso ajuda a garantir certo nível de privacidade. Mas também significa que a troca precisa gerenciar imensas quantidades de dados e potencialmente dezenas de milhões de chaves. Porém, caso essas chaves forem danificadas ou perdidas, todos os fundos correspondentes também serão perdidos. 

História

Em 2004, três empresas de câmbio digital baseadas na Austrália fecharam voluntariamente após uma investigação das autoridades locais. As companhias não tinham autorização para realizar transações financeiras.  Já em 2006, o negócio de câmbio digital norte-americano GoldAge Inc, foi fechado após operar desde 2002. Os operadores Arthur Budovsky e Vladimir Kats foram indiciados sob acusação de operar uma troca ilegal de moeda digital e transmissão de mais de US $ 30 milhões para carteiras digitais.  Os clientes forneceram documentação de identidade limitada e puderam transferir fundos para qualquer pessoa no mundo, com taxas superiores a US $ 100.000.  Em maio de 2013, o Liberty Reserve, banco de câmbio digital, foi fechado depois que o fundador, Arthur Budovsky Belanchuk, e outros integrantes foram presos sob acusação de lavagem de dinheiro e transmissão de dinheiro não licenciado. Mais de US $ 40 milhões em ativos foram colocados sob restrição pendente de confisco. 

Maiores exchanges de criptomoedas do mundo

Coinbase

Fundada em 2012 nos EUA, a Coinbase oferece um conjunto de ferramentas para os usuários de criptos. A empresa foi uma das primeiras exchanges criadas no mundo. Além disso, foi também a primeira startup de criptomoedas a alcançar o status de "unicórnio" (uma avaliação de mais de US $ 1 bilhão). Atualmente gerencia mais de 20 milhões de contas e opera um volume diário de quase US $ 1,6 bilhão. 

Binance

Lançada no ano passado por Changpeng "CZ" Zhao, a chinesa Binance rapidamente se tornou uma das maiores bolsas de criptografia do mundo. Logo depois de transferir seus escritórios para fora da China, a Binance passou a suportar mais de 130 moedas e processar cerca de US $ 1 bilhão em transação diariamente. Além disso, hoje tem mais de 9 milhões de clientes.

Quais as principais exchanges do Brasil?

Mercado Bitcoin

Essa é uma das exchanges mais usadas no Brasil. Sediada em São Paulo, foi a primeira empresa da América Latina a intermediar a compra e venda de moedas digitais no país. Atualmente conta com mais de 1 milhão de clientes, sendo que as transações diárias atingem cerca de 125 milhões de reais.

Foxbit

A Foxbit tem aumentado cada vez mais seu número de clientes, ocupando hoje 43% do mercado. Atualmente é composta por mais de 500 mil usuários. A empresa opera um volume diário de 100 milhões de reais.

O que considerar ao abrir uma conta em alguma exchange?

Desde a evolução das criptomoedas, muitas trocas de criptografia surgiram em vários locais ao redor do mundo. Algumas destas trocas são criadas por indivíduos confiáveis. No entanto, outras exchanges não tem credibilidade no mercado. Portanto, é importante que os investidores verifiquem algumas questões antes de abrir uma conta numa exchange: O site e o servidor são seguros? Trocas seguras são melhores. Como está a liquidez? Quanto maior o volume da troca, melhor. Quais são as taxas de intercâmbio? Quanto menor, melhor. Como é o apoio ao cliente das trocas? Quais pares de negociação estão disponíveis? Quantas opções de pagamento diferentes oferecem? A plataforma é amigável? Existem atrasos na resolução de reclamações de clientes? A bolsa tem taxas moderadas e a margem de negociação é permitida?   

Comentário

Notícias mais relevantes